fbpx

3 Anos!! / 3 Years!!

Faz hoje 3 anos que decidi começar a escrever este blogue. Tudo começou com uma vontade de partilhar o meu caminho, o meu percurso rumo ao bem-estar e à felicidade. Embora com muitos períodos de silêncio pelo caminho, essa continua a ser a minha vontade e o meu objectivo.
Este meu percurso não tem sido fácil, tem tido os seus altos e baixos, mas o “saldo” tem sido muito positivo! Devo muito do que tenho aprendido à minha prática de yoga. A motivação, a persistência, a vontade de continuar sem desistir, tudo advém do facto de saber que cada vez que desenrolo o meu tapete e pratico, consigo estar comigo e consigo ver-me. Consigo ver os meus defeitos, mas acima de tudo, consigo ver as minhas virtudes. E foi sobretudo esta relação que tenho vindo a construir comigo mesma que me tem levado à descoberta do que é viver uma vida saudável, física e mentalmente.
Sei que não tenho tido muito tempo, nem inspiração para aqui escrever, mas não queria deixar de assinalar esta data com um post. Aproveito também para dizer que vêm aí novidades, muito em breve! E que vou tentar escrever mais assiduamente!
Three years ago today that I decided to start writing this blog. It all started with a desire to share my journey, my path towards wellness and happiness. Although with some periods of silence along the way, this is still my goal.
 
This journey of mine has not been easy, it has had its ups and downs, but the “balance” has so far been very positive! I owe much, if not all, of what I have been learning to my yoga practice. The motivation, persistence, the willingness to continue without giving up, everything comes from knowing that every time I unroll my mat and practice, I am able to be with me and see me. I am able to see my faults, but above all, I am able to see my virtues. It has been this relationship that I have been developing with myself that has led me to discover  live a healthy life, both physically and mentally.
 
I know I have not had much time or inspiration to write regular posts, but I could not let this date go by without writing something! There will be new things coming soon and I promise I will try to write more frequently! 

Celebrar o amor / Celebrating love

Feliz Dia dos Namorados!
Este é um dia em que se deve celebrar o amor. E se não têm companheiro ou companheira, não faz mal nenhum! Celebrem com vocês mesmos. Aproveitem para dedicar o dia a amarem-se a vocês mesmos. Quando é que costumam fazer isso? Aposto que quase nunca! Pois, ter amor próprio é mais importante do que ter o amor de alguém.
Aqui ficam algumas dicas se como cultivar este amor:
1. Comecem cada dia com um coração grato
2. Sejam a melhor versão de vocês mesmos
3. Encontrem o vosso propósito na vida, e partilhem-no com paixão
4. Oiçam o vosso corpo
5. Dediquem algum tempo a fazer o vosso coração e a vossa alma felizes
6. Vivam de uma forma consciente e presente, apreciando cada momento
7. Admitam quando estão errados
8. Lembrem-se de respirar
9. São mais fortes do que pensam
10. Escolham a felicidade
11. Vivam os vossos sonhos!
Happy Valentine’s Day! 
Today we should be celebrating Love! Even if you do not have a partner, you should celebrate with yourself. Take this opportunity and dedicate this day to pampering and loving yourself. I bet you never do this! And practicing self-love is so much more important than receiving love from someone else.
Here are some tips on how you can do that:
 
1. Start each day with a grateful heart
2. Be the best version of yourself
3. Find your purpose in life and share it with passion
4. Listen to your body
5. Take time to make your heart and soul happy
6. Live mindfully, appreciating every moment
7. Admit when you are wrong
8. Remember to breath
9. You are stronger than  you think
10. Choose happiness!
11. Live your dreams

Estarmos presentes na época Natalícia / Be present during the Holidays

Chegou o mês de Dezembro, e com ele as preparações para as festas Natalícias e para o Fim do Ano. Esta época costuma ser muito agitada entre compras de presentes para dar à família e amigos, e de comida para os tradicionais pratos de Natal, almoços e jantares com amigos, etc. Com tantos afazeres, e com a tendência consumista da altura, é muito fácil que nos sintamos stressados e desligados de nós mesmos. Acabamos por chegar ao fim do ano exaustos e sem energia.

 

Uma boa forma de contrariar esta tendência é estarmos presentes. Mas como é que fazemos isto? Utilizando algumas técnicas de mindfulness que já descrevi noutros posts (aqui e aqui). Vivendo cada momento com calma, aceitando cada acontecimento sem emitir juízos de valor. Por exemplo, uma situação que pode acontecer muito nesta altura é estarmos numa fila imensa de trânsito, ou mesmo para pagarmos as compras de Natal, com imenso barulho e confusão à nossa volta. E temos mesmo que comprar aquilo agora… É fácil perdermos a calma. Mas se aceitarmos que agora, naquele momento, é ali que temos que estar, as coisas poderão ser mais fáceis. Uma boa forma de fazermos isto é concentrar-nos na nossa respiração (uma coisa que nos esquecemos muito de fazer!), e de imediato a nossa mente e o nosso corpo ficarão mais calmos. E ao aplicamos isto a todos os momentos em que de repente nos sentimos ‘com a tampa prestes a saltar’, as situações serão muito mais fáceis de ultrapassar.

 

Por outro lado, ficará também mais fácil focarmo-nos no que realmente interessa nesta quadra festiva: estar com a família e amigos. Partilhar momentos de amor e felicidade. Por vezes esta parte passa-nos inteiramente ao lado. Mas ao estarmos presentes, ao vivermos cada momento, percebemos que são estas coisas que interessam e passaremos a desfrutar muito mais delas! Saberemos valorizar aquilo que temos e todas as situações que enfrentamos!

 

No próximo post darei algumas dicas de como nos mantermos saudáveis durante as Festas!

 

December is here, and with it the preparations for Christmas and New Year’s Eve have arrived. This time of the year is usually very busy with shopping for gifts to give to family and friends, and food for the traditional Christmas sweets, lunches and dinners with friends, etc. With so much to do, and the consumer trend of this time, it is very easy for us to feel stressed and disconnected from ourselves. We end up reaching the end of the year exhausted and without energy.
 
A good way to counterbalance this is to be present. But how do we do this? Using some of the mindfulness techniques I have already described in previous posts (here and here). Living every moment with calm, accepting each event without judgments. For example, a situation that can happen a lot during this time is for us to be in huge queues to pay for our shopping, usually with a lot of noise and confusion around us… It’s usually easy for us to lose our patience and our temper. But if we accept that now, in that moment, that’s where we have to be, things will be easier. A good way to do this is to concentrate on our breathing (something we often forget to do!), and immediately our mind and our body will be calmer. If you apply this to every time you suddenly feel about to explode, situations will become much easier to overcome.
 
On the other hand, it will also become easier to focus on what really matters in this festive season: to be with family and friends. To share moments of love and happiness. Sometimes we ignore this part. But if we are present, if we live each moment, we realize that these are the things that interest the most!
 
For the next post I will share some tips on how to stay healthy during the Holidays!

Como ser mãe me ajudou na minha prática de yoga e vice-versa / How being a mother helped my yoga practice and vice-versa

Ser mãe era uma coisa que não estava nos meus planos, mas aconteceu e dou graças por isso todos os dias! Mas muitas coisas mudaram na minha vida, sendo que uma delas foi a minha prática de yoga. Ganhou outra dimensão pelo facto não só de praticar em casa todos os dias, mas também pelo que aprendi (e estou a aprender) neste papel de mãe
Aprendi sobretudo a importância de aceitar as coisas como elas são, de ser paciente e de ser perseverante. Todas estas coisas se relacionam com a prática de yoga de uma forma bastante directa e profunda. Foi sobre este assunto que escrevi o meu primeiro artigo para o site DoYouYoga. Podem lê-lo aqui: ‘How being a mother makes you a better yogini (and vice-versa!)’.
A prática de yoga tem muitas dimensões que vão para além da prática física que estamos mais acostumados a ver e a praticar. Os benefícios desta prática que teve a sua origem na Índia há milhares de anos são inúmeros e aconselho vivamente quem nunca praticou a experimentar uma aula! Existem vários tipos de yoga, uns mais físicos que outros. Experimentem aquele que vos parecer mais adequado à vossa personalidade! Se não acertarem à primeira, não desistam, procurem outro estilo. Comigo, foi apenas quando experimentei o Ashtanga yoga que percebi que tinha encontrado a prática certa para mim!
Being a mother was something that was not in my plans, but it happened, and I am grateful for it every day! However, many things had to change in my life, one of which was my yoga practice. It gained a different dimension not only because I started practicing at home every day, but also because of everything I have learned (and am learning) in this role of being a mother.
 
I have learned the importance of accepting things as they are, of being patient and to be perseverant. All of these things relate to the practice of yoga in a very direct and profound manner. It was exactly about this subject that I wrote my first article for the site DoYouYoga. You can read it here: ‘How being a mother makes you a better yogini (and vice-versa!)’.
 
The practice of yoga has many dimensions that go beyond the physical practice that we are more accustomed to seeing and practicing. The benefits of this practice, that originated in India thousands of years ago, are numerous and I strongly advise anyone who has never practiced to try a class! There are several types of yoga, some more physical than others. Try the one that seems most suitable to your personality! If you do not get it right at first, do not give up, try another style. For me, it was only when I tried Ashtanga yoga that I knew I had found the right practice for me!

Make Peace with your Body / Façam as pazes com o vosso corpo

Many of us struggle with body image issues. However sometimes we do not know it, or if we do, we try to act as if we don’t. From my personal experience, as soon as you recognize it, the better! Starting a new relationship with yourself little by little it’s a wonderful journey, and you will see that it is totally worth it!! 

My latest article featured at MindBodyGreen focuses exactly on this issue, and on how to make peace with your body: ‘7 Tips to Make Peace with your Body’. You can read it here!

Muitos de nós lutamos com questões de imagem corporal. No entanto, por vezes, não o sabemos, ou se o sabemos, tentamos agir como se nada fosse. Da minha própria experiência, posso dizer-vos que quanto mais cedo o admitirem, melhor! Iniciar uma nova relação com o nosso corpo, pouco a pouco, é na realidade um percurso maravilhoso, e que vale muito a pena!

O meu último artigo no site MindBodyGreen foca exactamente este assunto, e como podemos fazer as pazes com o nosso corpo: ‘7 Tips to Make Peace with your Body’. Podem lê-lo aqui!

O que fazer quando nos sentimos tristes / What to do when we feel sad

Há dias cinzentos. Em que apesar de o sol brilhar lá fora, as coisas não estão bem, ou não parecem estar bem, e sentimo-nos tristes e em baixo. Já alguma vez vos aconteceu? Eu tenho alguns destes dias, e embora já sejam raros, ainda acontecem. 
Dias em que penso no passado e em que gostaria que as coisas fossem diferentes; que a minha família ainda estivesse junta, que a minha avó ainda estivesse comigo… E choro, deixo as lágrimas correr até me sentir melhor, até sentir que a dor já é suportável. 

Depois volto a mim e foco a minha atenção na respiração, trago a minha mente para o momento presente e penso em tudo de bom que tenho à minha volta. Em tudo aquilo por que estou grata: um sol lindo a brilhar lá fora, uma casa com um tecto que me acolhe, um marido maravilhoso, um gato que me faz companhia, família e amigos que me apoiam, comida, possibilidade de fazer o que gosto, um corpo que me permite andar, ver, ouvir, falar e sentir. Tenho tantas coisas na minha vida que a tornam especial. Sim, é verdade que poderia ser melhor. Mas no presente tenho o que preciso para ser feliz e em vez de pensar em como as coisas poderiam ter sido no passado ou em como poderão ser no futuro, escolho focar a minha atenção e viver no presente. Tudo está bem. 
Sei que por vezes é difícil perceber isto e conseguir vir ao de cima do turbilhão de emoções. Por isso partilho aqui com vocês algumas das coisas que me têm ajudado. 

1) Meditação
Bastam apenas alguns minutos por dia. Sentem-se num local sossegado, sem serem interrompidos, e foquem a vossa atenção na respiração. Sintam o ar a entrar e a sair pelas narinas, e sempre que um pensamento aparecer, deixem-no ir embora, sem julgamento, sem pressão, apenas voltem a focar a vossa atenção na respiração. Esta é uma das formas mais simples de meditação, mas que com o tempo torna a mente mais calma, mais tranquila, fazendo com que seja mais fácil lidar com momentos de tristeza, mas também com momentos de stress.

2) Afirmações positivas
Pensar de uma forma positiva traz enormes benefícios. Gera boa energia e bem-estar, e faz com que nos sintamos melhores num dia menos bom. Uma forma fácil de o fazer é através da repetição de afirmações positivas. Escrevam estas afirmações num local de fácil acesso e que vejam frequentemente. Embora o ideal seja lerem uma por dia, podem sempre fazê-lo apenas quando precisam de sentir-se melhor. Por exemplo: ‘Eu sou forte e sou capaz de ultrapassar quaisquer obstáculos que a vida me ponha à frente’; ‘Eu escolho ser feliz e aproveito cada momento para me tornar numa pessoa melhor’.
Experimentem escrever as vossas próprias afirmações e usá-las com frequência.

3) Lista de Graças
Fazer uma lista das coisas que temos na nossa vida e pelas quais estamos gratos ajuda muito a perceber o quão afortunados somos. Muitas vezes levamos a nossa vida numa constante correria e nunca paramos para agradecer o que temos. Quando nos sentimos em baixo, se pararmos por uns segundos e pensarmos nesta lista, de certeza que nos sentiremos melhor. 

A vida nem sempre nos sorri, mas são os momentos menos bons que nos fazem evoluir como pessoas. Que nos fazem apreciar melhor o que temos. Com o tempo, e treinando a nossa mente, torna-se mais fácil lidar com estes momentos, que até acabam por ser mais raros. Nunca se esqueçam que é muito importante que não guardem a tristeza dentro de vocês. Se for preciso chorem, gritem, batam numa almofada, mas deixem os sentimentos sair!

Some days seem quite dark. And despite the beautiful sun outside, you may feel that things are not well, or do not seem to be well, and you feel sad and down. Has this ever happened to you? I have some of these days, although they have become rarer.
Sometimes, during these days, I think about the past, and of how things could be different. I think of the times when my family was still together, when my grandmother was still here with me. And then I cry… I let the tears run down my face until I start to feel better, until I start to to feel that the pain is bearable.

Then, I come back to my senses and focus my attention on my breath, bringing my mind to the present moment and thinking on all the good things that I have around me. In everything that I am thankful for: a beautiful sun shining outside, a house where I can live, a wonderful husband, a cat who keeps me company, family and friends who support me, nourishing food, the opportunity to do what I like the most, a body that allows me to walk, see, hear, talk and feel. I have so many things in my life that make it special. Yes, maybe I could have a better life. But in the present moment I have what I need to be happy, and instead of thinking on how things could have been in the past or will be in the future, I choose to focus my attention and live in the present moment. Everything is ALREADY ok.
I know that sometimes it is difficult to realize this and come out of the whirlwind of emotions. So here I am sharing with you some of the things that have helped me along the way.

1) Meditation
You only need a few minutes a day. Sit in a quiet place, where you won’t be interrupted, and focus your attention on the breath. Feel the air coming in and out of your nostrils. When a thought arises, let it go, without judgment, without pressure, just re-focus your attention on the breath. This is one of the most simple forms of meditation, and with time, the mind becomes calmer, quieter, making it easier to deal with moments of sadness, but also with stress.

2) Positive Affirmations
Thinking in a positive way brings huge benefits. It generates good energy and well-being, and makes us feel better when we are down. An easy way to do this is by repeating positive affirmations. Write these statements in an easily accessible place and read them often. Although the ideal is to read them everyday day, you can always do it only when you need to feel better. For example: ‘I am strong and able to overcome any obstacles that life puts in front of me’, ‘I choose to be happy and enjoy every moment I have to become a better person.’ Try to come up with your own affirmations and use them frequently.

3) Gratitude List
Make a list of things you have in our life and for which you are grateful for. It will help you to realize how fortunate you are. Often we take our lives in a constant rush and never stop to thank what we have, everything is taken for granted. When you feel down, if you stop for a second and think about this, making a short list, I’m sure you will feel better.

Life does not always smile at us, but the less good moments are the ones that make us grow and become a stronger person. That make us appreciate what we have. With time and by training our mind, it becomes easier to deal with such moments. 
And never forge! It is very important that you do not keep the sadness inside of you. If you need to cry, scream, beat a pillow, just do it! But let the feelings out!