Tomar conta de mim

Tomar conta de mim tem sido algo que tenho escrito todos os dias como sendo um dos meus objectivos. E há dias em que consigo, outros em que não. O que importa é continuar a tentar até que se torne um hábito.

Mas o que implica isto de tomar conta de mim?

Implica ouvir o meu corpo e respeitá-lo. Desafiar-me a alcançar novas metas, a vencer medos. Aprender a sentir-me bem no meu corpo e comigo mesma. A nutrir o meu corpo e a minha alma da melhor forma possível. A mexer o meu corpo (o que tem sido difícil nos últimos dois meses por causa da crise de ciática). E talvez tantas outras coisas!

O que já percebi é que quando me ignoro, quando me deixo para último lugar, quando resolvo ouvir apenas a minha mente, é quando o meu corpo grita. E se não oiço, ou ignoro, à primeira vez, então grita ainda mais alto. E aí sim sou obrigada a parar tudo e a prestar atenção, e a fazer tudo aquilo que for preciso para curar e para que não volte a acontecer